Month: November 2017

Governo acredita que 6 milhões de empregos serão gerados com reforma trabalhista

A nova lei trabalhista que entrou em vigor no dia 11 de novembro, poderá gerar mais de 6 milhões de empregos em todo o país. Segundo o governo federal, as estimativas apontam para um crescimento no total de criação de vagas de emprego desde o dia em que a reforma trabalhista entrou em vigor. A afirmação ocorreu por parte do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que acreditava no crescimento de empregos antes mesmo da reforma trabalhista entrar em vigor.

Com a reforma trabalhista em vigor, diversos pontos da CLT foram alterados, dentre eles a jornada de trabalho e as férias. A nova lei ainda permite que acordos coletivos sejam realizados entre o empregado e o empregador através de direitos já estabelecidos na legislação. Sendo assim, os sindicatos e as empresas possuem livre escolha em relação às condições de trabalho e as negociações relacionadas aos funcionários, desde que previstas em lei. Contudo, isso não significa que os trabalhadores têm melhores condições de trabalho ou mais direitos garantidos com a reforma trabalhista em vigor.

Meirelles declarou sobre a reforma trabalhista: “A grande mudança é dar mais poderes aos trabalhadores para negociar suas próprias condições de trabalho. A Alemanha fez uma reforma trabalhista muito grande. Em um primeiro momento, as pessoas se preocupavam que ia gerar uma queda do emprego em período integral. Mas houve um aumento grande do emprego. Com patrões, empregados, sindicatos, e confederações negociando, isso melhorou o emprego”. O ministro acredita que assim como na Alemanha, a reforma trabalhista poderá aumentar a geração de empregos no Brasil.

Desde o dia 11 de novembro, a lei permite que os trabalhadores tenham jornadas diárias de trabalho de até 12 horas, sendo 36 horas de descanso, desde que o limite de 44 horas semanais não seja desrespeitado (ou ainda 48 horas semanais, no caso de horas extras). Esse número ainda deverá bater com as 220 horas mensais de trabalho.

A nova lei ainda possibilita que as férias dos trabalhadores sejam fracionadas em até três partes ou períodos, caso haja uma negociação entre o empregador e o empregado. A regra diz que um dos períodos negociados pelas partes deverá ter pelo menos 14 dias corridos, e os outros dois períodos deverão ter no mínimo 5 dias corridos cada um.

 

Luiz Carlos Trabuco Cappi deixa a presidência executiva do Bradesco

Luiz Carlos Trabuco Cappi deixará a presidência do Bradesco, posto ocupado desde 2009. O banqueiro atualmente mantém as presidências executiva e do conselho administrativo do banco, esta última deixada no início de outubro por Lázaro de Mello Brandão. Como o estatuto não permite Trabuco terá de ocupar apenas uma cadeira.

O novo nome será anunciado até março do ano que vem, após assembleia geral ordinária de acionistas. É esperado que seja outro executivo da casa, uma vez que o banco dá prioridade a um profissional interno e não a um recrutado do mercado. “Somos um banco que privilegia a prata da casa.” Luiz Carlos Trabuco Cappi

Também acrescentou que o sucessor ainda não foi escolhido, contudo pode ser anunciado antes da data prevista se for necessário. Para ele, o Bradesco, atualmente o segundo maior banco privado do país, tem uma grande responsabilidade no Brasil, da a importância da continuidade de uma liderança interna e o que ele chama de”administração contínua e permanente”.

Luiz Carlos Trabuco Cappi enfatizou que “Será um processo normal, rotineiro, respeitando os talentos que a casa tem.” Atualmente o conselho fica com um membro a menos, porém há a possibilidade de ampliação do número de integrantes em um futuro próximo.

Ele ressaltou que é hora de “olhar para os desafios do futuro”, os quais, segundo ele, não são pequenos por conta das constantes transformações que estão acontecendo mundo.

Luiz Carlos Trabuco Cappi, 66, é formado em filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras na UNESP. Iniciou sua carreira no banco em 1969, passando por diferentes níveis hierárquicos até chegar à presidência no ano de 2009.

Sempre focado na inovação, o executivo ficou conhecido pela condução da compra do banco HSBC (filial brasileira) em 2015. Na ocasião, a venda por US$ 5,2 bilhões foi considerada a maior transação brasileira do ano.

A saída de Lázaro Brandão

Lázaro de Mello Brandão afirmou: “Foi uma iniciativa minha”, a respeito de sua renúncia. O banco tem que buscar renovação nas lideranças e enfatizou o trabalho do conselho, que para ele, preenche para o banco as necessidades e avanços impostos. O executivo irá ocupar a presidência das empresas comandadas pelo banco.

Brandão, 91, começou como escriturário em 1942 na Casa Bancária Almeida & Cia, que deu origem anos depois ao Banco Brasileiro de Descontos S.A. – Bradesco. Durante esses quase 75 anos dedicados a instituição, ele passou por diferentes cargos, assumindo a presidência executiva em 1981 e a presidência do conselho administrativo em 1990.

Os desafios da próxima gestão.

Durante a sua gestão, os desafios foram relacionados as trocas de moeda, atualmente é a tecnologia. “[A digitalização] vai ganhar corpo, indiscutivelmente. É um desafio de médio prazo”, afirmou.

já Luiz Carlos Trabuco Cappi acredita que a tecnologia e as pessoas são os pilares de qualquer instituição financeira. “Tecnologia sem olhar para as pessoas é lugar comum, só processamento de dados. Se eu digitalizar o banco sem foco no cliente, é coisa do passado.” De acordo com ele é papel dos bancos ensinar aos seus clientes como agir frente aos recursos digitais oferecidos.

 

Adolescentes também podem economizar dinheiro com dicas simples

A prática de economizar dinheiro é mais utilizada pelos brasileiros em situação de crise econômica, segundo especialistas em economia. O fato é que o brasileiro não é um bom poupador, mas em momentos ruins para a economia do país, como foi nos últimos três anos, os cidadãos passaram a guardar mais dinheiro do que tirar da poupança. Contudo, essa prática não serve apenas para estas situações ruins. Economizar dinheiro auxilia em um ótimo controle financeiro e em um consumo mais consciente.

E a modalidade não deve ser explorada apenas pelos adultos, hoje em dia há muitas crianças que aprendem o conceito de poupar através de pequenos atos. O mesmo acontece com os adolescentes, que com tanta tecnologia a disposição, sempre querem comprar algum item mais moderno ou ter seu próprio dinheiro guardado para planos no futuro.

Mas se você é um adolescente, o ato de poupar dinheiro pode parecer mais difícil do que de fato é. Isso porque nessa idade, a maioria dos brasileiros ainda não trabalham, não porque não querem, mas sim porque a taxa de desemprego entre pessoas de 14 a 24 anos de idade ainda é grande no Brasil. Sendo assim, a falta de estabilidade financeira garantida pode inibir o ato de economizar dos adolescentes.

Para contornar esse problema há diversas dicas que auxiliam na economia de dinheiro e são válidas para qualquer fase da vida, inclusive na adolescência. A primeira delas é ter conhecimento da quantidade de renda gerada mensalmente. Mesmo que pequena, como é o caso da mesada, o poupador deve ter esses valores em mente. Mas caso o adolescente já possua um emprego, esse cálculo é ainda mais fácil.

Depois de saber a renda mensal, o poupador precisa estabelecer todos os seus gastos mensais através de uma média. Sabendo desses dois dados, o adolescente que busca economizar dinheiro precisará apenas subtrair os gastos da renda e assim terá o valor que restou para economizar.

O fato é que muitas vezes não sobra nada para poupar, e isso significa que os gastos estão cobrindo toda a renda gerada no mês, algo que não deve acontecer com quem quer poupar. Caso isso ocorra, o poupador deve cortar gastos desnecessários ou reduzir o consumo para que sobre dinheiro no mês e assim possa guardá-lo. Mas caso isso não seja possível, o adolescente precisará avaliar oportunidades de ter uma renda extra.

Depois de seguir esses passos, os valores arrecadados todos os meses deverão ser guardados e utilizados conscientemente após o tempo determinado pelo poupador.

 

Conheça um pouco mais da trajetória de Rodrigo Terpins e seu pai

Muito antes de Rodrigo Terpins, o pai Jack Terpins, já demonstrava paixão pelo esporte. Ambos empresários e envolvidos com práticas esportivas, o filho se aventura nas pistas de rally em todo o mundo, enquanto o pai dedicou-se ao basquetebol quando jovem. Conheça um pouco da trajetória dos dois.

Jack Terpins

Jackão, como é conhecido por amigos e parentes, jogou pela Hebraica (famoso time de basquete) entre as décadas de 60 e 70. Hoje, o investidor imobiliário, sempre defendeu que os filhos, Michel Terpins e Rodrigo Terpins buscassem uma prática esportiva, tanto que se tornou um líder comunitário da instituição ainda cedo.

Passou por diferentes estágios até chegar à presidência da Hebraica em 1991. Jack Terpins também praticou diferentes serviços voluntários, ocupando também a presidência do Conselho Judaico Latino-americano e da Confederação Macabi Latino-americana. Também foi vice-presidente da União Macabi Mundial.

Em todas essas funções, Jack Terpins mostrou-se apaixonado e dedicado, apresentando total empenho a cada uma delas.

Trata-se de uma figura cativa na sociedade e um nome a ser lembrado pela Hebraica, além de uma das grandes referências comunitárias do mundo judaico.

Rodrigo Terpins e a participação na 22ª edição do Rally dos Sertões

Os filhos de Jakão sempre foram incentivados a praticarem esportes e os dois resolveram acelerar nas competições off-road. Na 22ª ambos participaram e viveram situações um pouco diferentes.

Os participantes largaram em Goiânia, etapa que contou com 155 km com trechos cronometrados, o que exigiu muita cautela e habilidade para completá-la. A dupla de Rodrigo Terpins (piloto) e Fabrício Bianchini (navegador), a Bull Sertões Rally Team, terminou a prova em sétimo lugar da categoria Protótipos T1 em pouco mais de 2 horas.

“Tivemos vários tipos de terrenos neste primeiro dia, muitas lombas e foi um percurso exigente. Mas sem sustos, tudo dentro da normalidade”, justificou o piloto do carro #326.

Já o irmão, Michel Terpins, não completou a prova. O mal resultado ocorreu por conta de um acidente em que piloto e o navegador capotaram na altura KM 62. Nenhum dos dois se feriram, porém, o carro não teve condições de continuar na etapa.

Como foi a competição

O 22º Rally dos Sertões teve 7 etapas em um total de 2.6000 quilômetros, os quais foram percorridos por dois estados. A maior prova off-road do Brasil foi marcada por diferentes adversidades e por essa razão nem todos os competidores conseguiram completar a prova ou se classificar no TOP 5.

Entre o TOP 5 estavam os participantes da equipe Bull Sertões Rally Team no carro #326. Rodrigo Terpins e Fabrício Bianchini completaram bem a prova e chegaram ao pódio na categoria Protótipos T1. A dupla também ficou na 8ª posição no ranking geral, que inclui 38 competidores.

O piloto chegou a afirmar ao fim da competição: “A prova foi prazerosa e gostosa para se pilotar, tivemos Especiais bem duras que exigiram muito do equipamento e a nossa equipe foi dez, tivemos 100% de aproveitamento e o resultado foi este.”

Conheça um pouco mais da história da família Terpins e da equipe Bull Sertões Rally Team nos seguintes canais:

Site: http://www.terpins.com.br

Twitter: www.twitter.com/michelterpins  / www.twitter.com/rodrigoterpins

Instagram: www.instagram.com/bullsertoesrallyteam

Tumblr: http://michel-terpins.tumblr.com  / http://rodrigo-terpins.tumblr.com/

Boletos vencidos sofrem mudanças na forma de pagamento junto aos bancos

 

Segundo a Febraban – Federação Brasileira de Bancos, boletos que estiverem atrasados e com o valor menor que R$ 2 mil, só poderão ser pagos em 2018 em qualquer agência bancária no país. A divulgação desta informação ocorreu no dia 9 de outubro de 2017 e segundo explica a Febraban, o adiamento é necessário devido à complexidade de implementações do recebimento desses boletos a partir do novo sistema que está sendo implantado.

Para que isso possa ser posto em prática, a federação irá utilizar o escalonamento. Em primeiro lugar, os bancos aceitarão pagamentos de boletos com o valor mínimo de R$ 50 mil. Em setembro de 2017, o valor mínimo anunciado para outubro deste ano seria de R$ 2 mil, conforme divulgado. No dia 9 de outubro deste ano era para começar o pagamento de boletos com o valor mínimo de R$ 500, mas foi adiado.

Uma antiga estimativa da federação era de que em dezembro de 2017 os documentos vencidos e com qualquer valor, teriam como ser pagos em qualquer agência bancária do país. “Em função do volume elevado de documentos que irão trafegar pelo novo sistema – cerca de quatro bilhões de boletos por ano, montante comparável à capacidade das grandes processadoras de cartões de crédito do mundo – o setor bancário decidiu rever o cronograma original, que previa a inclusão de todos os boletos na Nova Plataforma de Cobrança já a partir de dezembro”, comunica a Febraban.

A Febraban também informou que outras datas serão divulgadas por ela para que as medidas possam entrar em vigor no ano que vem. Com a implantação de um novo sistema que possa apresentar melhorias no processamento de uma maior demanda de boletos, a federação diz que a possibilidade de pagamentos de boletos duplicados não irá mais ocorrer. O compartilhamento dessas informações entre as instituições bancárias terá mais qualidade na prestação de serviço com menos riscos e mais rapidez para o consumidor.

Um boleto apresentado em uma agência bancária irá demonstrar se já foi pago na hora que a leitura do código de barras for efetuada, sendo ou não boletos já vencidos. “O novo sistema reduz inconsistências de dados e permite a identificação do emissor e do pagador do boleto, facilitando o rastreamento de pagamentos e redução das fraudes, fonte de preocupação permanente para todo o sistema bancário”, enfatizou a Febraban.