Índice de Confiança da Indústria de 2017 registra melhor nível em quase 4 anos

A FGV – Fundação Getulio Vargas, divulgou no dia 28 de dezembro de 2017 que o ano encerrou com a confiança do setor industrial em uma máxima. Segundo a divulgação da FGV, quase quatro anos de otimismo para o futuro renderam um bom retrospecto para a confiança do setor industrial do Brasil em 2017.

De acordo com os dados divulgados pela fundação, o ICI – Índice de Confiança da Indústria, aumentou 1,3 ponto no mês de dezembro de 2017. O ano encerrou com o registro de 99,6 pontos para o índice, sendo o nível mais alto já alcançado desde o mês de janeiro de 2014, quando o índice foi de 100,1 pontos.

A coordenadora de Sondagem da Indústria, Tabi Thuler Santos, que representa a FGV/IBRE, disse sobre os novos dados divulgados: “A indústria percebe melhora no ambiente de negócios e acredita na manutenção dessa trajetória favorável nos próximos meses. Pela primeira vez desde setembro de 2013, há prevalência de respostas otimistas na pesquisa, o que reforça a perspectiva do setor de continuidade da recuperação da confiança em 2018”.

Segundo a FGV, dentre os 19 segmentos da indústria que são pesquisados para o índice, 11 deles apresentaram uma melhora expressiva no mês de dezembro.

Além da divulgação do ICI, a FGV também revelou que o ISA – Índice da Situação Atual, teve um avanço de 1,3 ponto no mês de dezembro, atingindo um patamar de 98,5 pontos em 2017. Esse alto patamar do ISA é o melhor desde o mês de fevereiro de 2014, e a melhora no índice foi atribuida a boas perspectivas para os negócios no Brasil.

O IE – Índice de Expectativas, também registrou alto nível ao final de 2017. Em dezembro de 2017, o índice avançou 1,4 ponto, atingindo a máxima de 100,8 pontos. Esse foi o maior registro desde o mês de junho de 2013.

A FGV ainda informou que o atual nível do Índice de Confiança da Indústria está em contramão a previsão estipulada ao início do ano de 2017, quando a fundação previu uma queda do ICI e uma piora no quadro de percepção atual por parte dos empresários.