Indústria de alimentos: como evitar a deterioração de alimentos no shelf life

O tempo de vida de prateleira de um produto é chamado de shelf life. Esse prazo, que mostra até quando o produto estará próprio para o consumo, é contado desde a sua fabricação. Porém, se as condições de transporte e armazenamento não forem corretas, esse período pode se tornar menor do que o previsto.

O uso de colágeno bovino durante a produção, por exemplo, ajuda a aumentar o tempo de prateleira de alimentos. Ficou interessado? Então veja algumas dicas e garanta a qualidade do alimento vendido.

Como evitar a deterioração de alimentos no shelf life e gerar economia?

A primeira coisa que determina a vida de prateleira de um produto é a sua constituição. Alguns itens são mais perecíveis do que os outros e, consequentemente, possuem um shelf life menor. Para ficar mais fácil de imaginar, é só observar o leite e o arroz industrializado. O que dura mais?

A vida de prateleira do leite é curta, quando comparada ao do arroz, concorda? Porém, dentro da própria indústria de laticínios, é possível encontrar leites com prazos de validades maiores e menores. Isso é possível graças a dois fatores principais: o processamento e a embalagem.

O famoso leite de saquinho vence em um ou dois dias, enquanto os de caixinha podem passar mais de um mês nas prateleiras. A embalagem mais resistente ajuda a manter o produto por mais tempo como apropriado para o consumo. Porém, neste caso, a temperatura na qual o leite é aquecido durante o processamento da indústria é o que mais importa.

O leite de saquinho é pasteurizado, a 75ºC por 15 segundos, e o de caixinha é UHT (Ultra High Temperature), ou seja, é elevado a 130 a 150º, entre 2 e 4 segundos. Com isso, o leite de caixinha consegue eliminar todos os microrganismos, aumentando o shelf life. É por isso que ele é chamado, popularmente, de leite longa vida.