Estados Unidos tem leve baixa no PIB

A desaceleração da economia dos Estados Unidos vem de indicativos como o PIB (Produto Interno Bruto), que teve um aumento de 2%, mas isso demonstra uma elevação menor se comparada com o mês anterior de 2,1%. De janeiro a março houve um aumento de 3,1%. Houve uma expansão de 2,6% nos primeiros três meses deste ano.

Ainda que o consumo no país tenha sido crescente nos quatro últimos anos, ainda existe uma dificuldade no  crescimento do PIB , devido às exportações que tiveram uma queda, que está ligada com um número de estoques menor. As expectativas dos economistas estavam maiores do que os resultados apresentados, a economia passa a ser afetada pela guerra comercial com a China, que diminui as atividades manufatureiras, e os investimentos no ramo empresarial.

No ano de 2018, os Estados Unidos tiveram um crescimento de 2,9% no PIB, com um volume financeiro de 20,5 trilhões de dólares, o aumento foi maior do que o ano de 2017, e também foi maior nos últimos quatro anos. O bom resultado de 2018 envolvem diversos fatores, entre os principais estão os investimentos, exportações, gastos do governo, consumos das famílias, entre outros, e assim o aumento ficou muito próximo da meta para o ano, que foi de 3%.

Pelo resultado positivo é possível perceber a solidez da economia dos Estados Unidos, que se firmou a partir de cortes fiscais no orçamento de empresas e trabalhadores. A meta para o crescimento é de 3% ao ano de maneira sustentável. No ano de 2017, o gigante econômico registou um aumento de 2,2%.

Hoje com a alta do dólar, o Brasil tenta manter a valorização do real de maneira sólida. O país que está com 13 milhões de desempregados tenta se reerguer de maneira gradual, ainda que leve tempo para alcançar tal feito. Diversas medidas são tomadas para assegurar o melhor e o maior crescimento econômico possível, ainda que seja necessário mais tempo para concretizar o trabalho para restaurar o cenário econômico do País, e assim haverá pouco a pouco uma melhora na geração de empregos, e consequentemente do poder de renda das famílias.