Guilherme Benchimol : Sucesso com a XP investimentos

O Brasil é uma das economias que mais crescem no mundo e está pronto para inovar desde o início. Como figura-chave no cenário brasileiro de startups, Guilherme Benchimol entende esse fato talvez melhor do que qualquer outra pessoa.

Ele é fundador da XP Investimentos, uma startup que se tornou a maior corretora independente do Brasil, usando estratégias inovadoras para competir com as instituições financeiras tradicionais. Guilherme Benchimol é um empresário que decidiu explorar novas indústrias e mercados e buscar novas oportunidades de investimento no Brasil e nos Estados Unidos.

A corretora de investimentos XP foi criada no ano de 2001 pelo empresário brasileiro Guilherme Benchimol como uma empresa de investimentos independente, a XP expandiu-se para negociação e custódia de valores mobiliários, administração de dinheiro e consultoria financeira, à medida que seus pares encolheram drasticamente diante de taxas em queda e uma base de clientes em declínio.

A enorme flutuação do mercado, volatilidade crescente e a atividade reduzida em ações e diversas modalidades de investimentos em produtos financeiros resultaram em grandes prejuízos em muitas corretoras independentes.

A XP fechou um acordo com as empresas de investimento do Morgan Stanley & Co., Grupo BTG Pactual SA, BBMorgan Chase & JPMorgan e do Itaú Unibanco Holding SA para liderar a oferta. subscrição, disseram as pessoas.

O grupo de investimentos mobiliários que possui sede no Rio de Janeiro, participa da etapa de escolha de outros parceiros para ampliar sua área de atuação.

Apesar da recessão esmagadora no Brasil, a XP está avançando com planos de expansão, em parte atendendo a investidores com maior patrimônio líquido. Também está crescendo nos EUA, onde provavelmente dobrará o número de funcionários este ano para cerca de 90 pessoas. Cerca de metade deles estará em Miami e a outra metade em Nova York, onde a empresa está se preparando para se mudar para um novo escritório em Manhattan, com espaço para 80, segundo o executivo Guilherme Benchimol.

Guilherme Benchimol disse que o modelo de negócios da empresa tem sido resiliente diante da crise, porque o Brasil já possui um grande conjunto de investidores para atingir como clientes. “Não precisamos criar um mercado”, disse ele. “Temos que transformar o mercado.”