Empiricus lança vídeo institucional com pedido de desculpas de Bettina Rudolph

Honestamente, o que você pensaria se alguém viesse até você e lhe contasse que havia sido capaz de transformar mil reais em um milhão de reais num período de apenas três anos, seguindo conselhos de uma casa publicadora de relatórios financeiros?

Num primeiro momento, sem receber maiores informações e detalhes da operação, talvez você imaginasse que o caso era pura lorota, não é mesmo?

Na verdade, creio que você já tenha ouvido falar de um caso que aconteceu mais ou menos assim, alguns meses atrás, com repercussões ainda hoje.

Aconteceu com a analista financeira Bettina Rudolph, copywriter contratada pela Empiricus. Ela apareceu numa peça publicitária da empresa contando como havia se tornado milionária bastante jovem, exatamente assim: mil reais de aplicação, alguns conselhos de especialistas e pronto – um milhão de reais estalando na conta!

O vídeo foi muito divulgado em diversos meios, para públicos variados, e acabou rendendo alguns comentários indignados dos concorrentes e mesmo de alguns de seus assinantes nas redes sociais.

Recentemente, em nova peça de divulgação, Bettina Rudolph veio a público para tentar reparar o estrago. Desculpou-se humildemente e reconheceu que não havia relatado os fatos como realmente eles se haviam desenrolado. Desculpou-se e, dessa vez, explicou melhor a situação. Segundo a profissional, quando a primeira matéria foi ao ar, faltou dizer que a meteórica multiplicação de seu capital havia sido impulsionada também por uma série de outros aportes financeiros feitos ao longo dos três anos utilizados como referência, até chegar ao montante de um milhão de reais.

Embora a audiência da Empiricus pareça ter ficado satisfeita com os esclarecimentos prestados, os órgãos de controle não foram tão compreensivos e exigiram mais. O Procon puniu a empresa com multa, enquanto que o Conselho Nacional de Auto-Regulação Publicitária – CONAR pediu a suspensão imediata da veiculação da propaganda em questão, além de outras cinco que também haviam sido consideradas inadequadas.

Diante da grande repercussão do caso, a Comissão de Valores Mobiliários – CVM entendeu ser momento oportuno para divulgar orientações sobre as melhores práticas a serem observadas na publicidade de análises financeiras.

Sendo assim, como resposta institucional, passou a fazer parte dos relatórios da empresa uma nova mensagem de esclarecimento, do tipo disclaimer, por meio da qual os leitores são alertados de que ganhos auferidos no passado não devem ser considerados como garantia de retornos futuros.

Apesar do movimento feito em direção a uma política interna de compliance mais aderente às orientações da CVM, a Empiricus insiste que a Comissão não é órgão competente para regular as atividades da empresa.

Em linhas bem gerais e resumidas, o argumento central que sustenta a tese defendida pela Empiricus assevera que sua área de atividade é o ramo de publicações, ou seja, a empresa é uma casa publicadora, estando sujeita às regulamentações próprias do mercado editorial.

Independentemente do mal-estar causado pela campanha inicial, a Empiricus permanece na vanguarda de seu nicho de atuação, sendo reconhecida pelo modelo inovador – ou agressivo, como preferem alguns – de se posicionar e de apresentar seus produtos e serviços.