Category: Moda

Donata Meirelles aborda o material que tem revolucionado as produções fashion

Donata Meirelles destaca que, em se tratando do mercado fashion, o uso de materiais diversos é uma realidade cada vez mais vista, tanto na moda praticada nas passarelas, quanto na que se vê nas ruas. Se no passado somente tecidos e couro eram comuns nas coleções, hoje a tecnologia promoveu uma revolução na fabricação das peças. A fibra de carbono, por exemplo, é uma matéria-prima inovadora que tem sido bem aceita nesse meio.

O emprego desse material não é novidade para outros segmentos, tais como o da aviação, o esportivo e o náutico. Na moda, contudo, a fibra de carbono faz sua estreia. Embora possa remeter a algo de grande dureza, suas vantagens consistem no fato de ser algo que apresenta extrema leveza e resistência. Engana-se, porém, quem imagina que o material é somente utilizado em acessórios de moda. Conforme reporta a empresária Donata Meirelles, este também tem sido adotado na criação de novas roupas.

O uso no mundo da moda, no que se refere a este tipo de fibra é recente. Para se ter ideia, um levantamento realizado em 2012, feito pela organização Reinforced, constatou que o material apresentava 23% de seu emprego na construção de turbinas voltadas aos segmentos automobilístico e aeronáutico. A relação com a moda era ainda distante, já que seu emprego ficava limitado à criação voltada aos itens com características esportivas. Vale ressaltar que a pesquisa em questão abordou a utilização da fibra de carbono em todo o mundo.

Uma das primeiras grifes que fizeram uso das peculiaridades desse material foi a italiana Lamborghini. Houve a decisão por parte da administração da empresa de que seria o momento de se lançar algo que empregasse a fibra em questão. A escolha consistiu na criação de uma coleção de bolsas. Apesar do uso considerado pioneiro no ramo da moda, as peças possuíam um caráter artesanal, pois foram confeccionadas todas à mão.

Após a Lamborghini, outra marca decidiu investir em coleções contendo o material. Dessa vez foi a hora da G-Shock. Lembrada em razão da produção de itens que apresentam grande resistência, como relógios, por exemplo, a marca aprimorou suas produções com a matéria-prima. Embora tenha se mantido fiel aos tipos de produtos que costuma desenvolver, o diferencial está no fato da fibra de carbono ter possibilitado aspecto e durabilidade melhores às peças, salienta Donata Meirelles.

Em se tratando da Lamborghini, no que diz respeito à coleção contendo o material, esta foi lançada por meio da feira internacional de Basel. Para o Brasil, espera-se que as novidades da marca estejam disponíveis para a compra até o final de 2019. A grife promete uma variedade de cinco modelos de relógios compostos por fibras de carbono.

Por enquanto, o filão da moda que mais se beneficia com o emprego da fibra é o de relógios, dadas as características que o material consegue conferir a este tipo de produto. Donata Meirelles assinala, contudo, que outras empresas do meio fashion estudam adotar a matéria-prima também em tecidos, já que a leveza obtida é satisfatória para tal propósito.

Bailes da Amfar no Brasil reúnem famosos como Donata Meirelles

A Amfar é uma entidade sem fins lucrativos que apoia pesquisas para a cura da Aids e projetos de inserção de soropositivos na sociedade. Uma vez por ano, a ong promove o Inspiration Gala da Amfar na cidade de São Paulo, evento beneficente que reúne famosos como Donata Meirelles, Sabrina Sato, Ronaldo Fenômeno, entre outros convidados ilustres. Saiba mais!

Na quarta edição do baile de gala da Amfar foi realizada na mansão de Dinho Diniz e contou com vários apoiadores, entre empresários artistas e outras pessoas públicas. Durante a festa foi realizado um leilão beneficente com itens exclusivos como obras de arte e experiências únicas.

O destaque ficou com a apresentadora Sabrina Sato que arrematou um quadro do artista plástico Vik Muniz pelo lance de 120 mil dólares. Donata Meirelles também arrematou um item por 50 mil dólares e contribuiu com a causa.

Também marcaram presença Cauã Reymond, Fernanda Tavares, Adriane Galisteu, Rodrigo Faro, Izabel Goulart, Nizan Guanaes e muitos outros. Sharon Stone chegou no evento com vários seguranças. Também chamaram a atenção a atriz Kate Moss e as modelos internacionais Naomi Campbell e Lea T. Naomi era uma das mais simpáticas e sambou ao show da cantora Martinalia e distribuiu sorrisos.

Mesmo com várias celebridades, um dos personagens mais fotografados durante o evento foi o macaco prego Skinner, que estava vestido de smoking. Luiza Brunet ressaltou “Esse bicho não é lindo?”. O dono do macaco, Dinho Diniz, possui uma espécie de zoológico em casa, com pássaros, macacos e um felino selvagem.

Ao todo foram arrecadados 3 milhões de dólares com o leilão para os projetos da Amfar. Parte desse valor foi destinado a Sociedade Viva Cazuza, ong brasileira que tem como objetivo proporcionar uma vida melhor para soropostivos.

Sétima Edição

A sétima edição também foi um sucesso. O evento homenageou o artista plástico Vik Muniz por seu empenho em ajudar a Amfar. Entre os presentes, Katie Holmes, Anitta, Preta Gil, Donata Meirelles, Nizan Guanaes, Helena Bordon, Lalá Rudge, Malu Barreto, Lea Cerezo, Lea T, Regina Casé, Fernanda Paes Leme, Yasmin Brunet, Isabella Santoni, Luiza Brunet, Fábio Porchat, Didi Wagner, Celina Locks, Carolina Ferraz e muitos outros.

a atriz Katie Holmes foi a primeira a falar, agradecendo aos presentes, colaboradores do evento e seus idealizadores. Logo em seguida ela apresentou o Kevin Robert Frost, CEO da Amfar. Robert ressaltou o programa “Countdown to a Cure for AIDS”, que em três anos foi responsável por financiar com mais de 40 milhões de dólares inúmeras pesquisas em 10 países diferentes. 55 instituições e 150 pesquisadores foram beneficiados.

Regina Casé chamou ao palco Vik Muniz, o homenageado da noite. O artista é um dos mais influentes do mundo na atualidade e apoia a causa com várias obras de arte que são leiloadas e o dinheiro revertido para as pesquisas. Os quadros dos artistas já arrecadaram mais de 400 mil dólares para a instituição. Vik agradeceu a premiação, a qual ele classificou como uma honra incrível.

A cantora Preta Gil foi um dos destaques. Ela apresentou a composição “Filho do Arco-Íris”, de autoria de Nizan Guanaes, cuja renda com os direitos autorais será revertida em totalidade para a amfAR. O segundo show da noite, da cantora Anitta, foi um dos mais agitados dos bailes da instituição no Brasil. A musa levou a maioria dos convidados para a pista de dança.

O leilão foi um dos pontos altos da noite, trazendo itens exclusivos apresentados por Simon de Pury. Entre os principais lances:

Quadro de Vik Muniz, vendido pelo lance de 135 mil dólares para ex-jogador Ronaldo Fenômeno;

Fotografia com Kim Kardashian, produzida por Mert & Marcus, dois dos fotógrafos mais cobiçados da atualidade. A locação será um hotel cinco estrelas na cidade de los Angeles. A vencedora do leilão foi a apresentadora Sabrina Sato que desembolsou 70 mil dólares pelo item;

Quadro o “Retrato” de Gustavo e Otavio Pandolfo, vendido por 60 mil dólares;

Real Ascot, o pacote inclui um lugar próximo a rainha da Inglaterra e da família real durante sua procissão anual. Ainda estão inclusos um café da manhã no Castelo de Windsor e mais dois outros eventos com convidados limitados. Todo o pacote foi arrematado por 50 mil dólares;

Riviera Francesa incluindo convites para o Festival de Cannes de Cinema e para o Grande Prêmio de F1. Também fazem parte do pacote hospedagem em hotel cinco estrelas e ingressos para amfAR Gala after party, além de jantares e festas exclusivas.

O evento foi produzido pela Josh Wood Productions e contou com vários patrocinadores, entre eles o shopping Iguatemi, Karavelle e Moët Hennessy. Foram arrecadados mais de 1,3 milhões de dólares com o leilão e desde que a Amfar passou a realizar seus bailes beneficentes em 2010, já foram arrecadados mais de 11,5 milhões de dólares no Brasil para os programas de pesquisa relacionados a AIDS.

Donata Meirelles informa como as ações de moda podem se relacionar com manifestações culturais

Um caráter constantemente observado nas criações de moda, segundo ressalta a empreendedora do meio fashion, Donata Meirelles, é a evolução dos conceitos. O principal objetivo que se pode perceber é a criação como forma de atender os anseios das pessoas, seja em relação à estética das produções ou no que se refere à funcionalidade do que é produzido. A complexidade da definição da moda conforme explica a empresária, está também ligada aos rumos que a sociedade toma, sobretudo no que diz respeito às preferências de consumo.

A moda, vez por outra, aparece como uma espécie de utilidade empregada pela sociedade. Seu principal objetivo, considerando-se este viés, é o de construção da imagem dos indivíduos. Esse modo de se explicar os elementos de caráter fashion implica na interação com grupos de pessoas com estilos variados, que se comunicam e se complementam. A empresária informa que toda uma época pode ser interpretada a partir da moda produzida nesse período, o que também possui um viés histórico que não deve ser deixado de lado no momento da análise.

O comportamento humano surge como uma espécie de mola propulsora do que é feito no universo da moda. A comunicação, que é um dos mais importantes atributos de evolução humana (assim como a evolução de natureza tecnológica), possuem grande influência nos processos de criação dos itens fashion. Além disso, a moda surge ora como derivação das manifestações artísticas, ora como criadora da arte que se observa em diversas vertentes, daí o seu caráter de elemento cultural.

No que diz respeito à moda como fator cultural, Donata Meirelles explica que há quem a classifique como algo que possa diferenciar o estilo de uma dada pessoa com o de outra. Assim sendo, acredita-se também que o meio fashion seja capaz de suscitar a classificação de alguns grupos sociais, que são reunidos em função de suas predileções de vestuário, por exemplo. Isso faz com que a moda seja vista como algo que possibilite a criação de uma espécie de identidade, que pode ser de âmbito coletivo ou individual.

Ao se relacionar moda com cultura, um dos pontos que devem ser elencados é a influência da globalização dentro desse processo. Pelo fato de possibilitar com que as pessoas interajam mais entre si, fenômeno acentuado pela maior utilização dos recursos da internet, a globalização se mostra crucial para que a moda se dissemine pelas nações, qualquer que seja o estilo nela trabalhado. Mesmo com as mudanças que ocorrem rapidamente no meio fashion, pode haver uma profunda reflexão acerca do que é produzido e utilizado pelas pessoas, ressalta Donata Meirelles.

A interação da moda com o meio cultural faz com que os grupos sociais criem códigos próprios, que podem ser percebidos na maneira como as pessoas preferem se vestir. Ainda que a moda possa se mostrar volátil, essa variação do que é considerado modismo parece não atingir os indivíduos, uma vez que novos elementos de moda são criados obedecendo-se uma espécie de ciclo, onde alguns itens sempre retornam como tendência. Essa maneira cíclica de se criar ligações dentro desse segmento relaciona-se também o estabelecimento de uma linguagem própria.

Quando vista como a manifestação da cultura da sociedade, a moda costuma ser analisada por aquilo que nem sempre está visível. Em outras palavras, significa que as pessoas que a utilizam também devem ser consideradas. A essa observação, contudo, é importante salientar que aspectos sociais e até mesmo aqueles que são culturais devem ser analisados, a fim de que se possa concluir como a cultura pode ser relacionar com o universo fashion. A empresária salienta que os costumes, por exemplo, são um importante ponto de partida para a análise de uma dada sociedade, já que podem dizer muito sobre os processos criativos dentro da moda.

O hábito de se estabelecer combinações entre os itens de moda é visto como um tipo de comunicação entre as pessoas. Com isso, a moda deixa de assumir apenas a responsabilidade de criar peças que possam vestir as pessoas, ou seja, o caráter utilitário pode se estabelecer em segundo plano. Donata Meirelles aponta que muitas pessoas adquirem roupas, calçados e acessórios por questões estéticas ou em virtude de se sentirem adequadas a algumas ocasiões. Ela enfatiza que há também as que queiram transparecer status por alguma razão, de forma que conseguem fazer isso com o emprego de peças que são consideradas fashion.

Dessa forma, a empresária pontua que a cada ano que passa, fica mais visível a utilização da moda em relação à forma como as pessoas se vê e é vista por seus pares. Existe também um caráter formador de opinião dentro das preferências dos indivíduos na hora de se vestir. Assim, tudo o que é produzido e classificado como moda também está intimamente ligado às ações típicas dos meios culturais, revelando grande poder a partir dessa fusão, finaliza a empreendedora.

Donata Meirelles ressalta como as indústrias de moda têm deixado de lado a utilização da pele animal

Conforme reporta a empreendedora Donata Meirelles, o segmento da moda experimenta uma fase de profundas transformações. Uma das causas das mudanças estruturais no universo fashion é a questão de se praticar consumo consciente. A adesão a uma forma mais sustentável partiu dos próprios consumidores de renomadas grifes. Desse modo, o emprego de pele de animais na confecção de roupas e calçados já não é algo aceitável para grande parte das pessoas, explica a empresária. Com essa rejeição a tudo o que possa agredir a natureza de alguma forma, as marcas se veem em meio à necessidade de adequação a esse novo cenário.

Assim como já ocorreu com grifes de alta costura, como por exemplo, Jean-Paul Gaultier, Ralph Lauren, Chanel e Diane Von Furstenberg, a marca Prada anunciou recentemente que passará a integrar a lista das empresas de moda classificadas como “Fur Free”, ou seja, aquelas cuja produção não é feita com pele animal. Representantes da grife esclareceram que a mudança nos processos de fabricação das peças será adotada já na primeira coleção para 2020, que contemplará a moda primavera/verão.

A marca italiana, entretanto, não deixará de fazer referências ao chamado “animal print”, tendência recorrente que se caracteriza por estampas inspiradas em animais. Haverá uma espécie de substituição das matérias-primas de origem animal, que dará lugar a materiais que simulem as peles em questão. Com a decisão anunciada no mês de maio de 2019, houve uma profunda busca por saídas alternativas. Esse posicionamento da marca, segundo destaca Donata Meirelles, teria motivado algumas empresas de moda sediadas em Nova York.

Da mesma maneira como ocorreu com a Prada, marcas de destaque no cenário mundial sinalizaram que se unirão à causa em um curto período de tempo. As grifes que concordaram com o posicionamento da grife italiana são Car Shoe, Church’s e Miu Miu. Vale ressaltar que estas companhias possuem sede nos Estados Unidos. A substituição dos produtos com pele animal se dará de forma gradual, assinala a empresária. Tais marcas já pararam de produzir itens com este tipo de matéria-prima, mas as peças já produzidas poderão ainda ser vendidas. Ainda que as inspirações animais sejam fortes, a ética dentro do luxo tem prevalecido tanto para as clientelas, quanto para a própria indústria da moda.

Se as peles animais deixaram de ser uma alternativa para as grifes, o que se espera é que ocorra um maior desenvolvimento criativo dentro dessas empresas, sobretudo em relação à produção de materiais que as consigam substituir satisfatoriamente. Desse modo, as profissões que envolvem design passaram a estar em alta, uma vez que as grandes marcas têm apostado alto a criação de novidades para este meio. De acordo com Miucccia Prada, que dirige a área de criação da Prada, a alta demanda por produtos considerados éticos tem feito com que as companhias abram oportunidades variadas de trabalho, principalmente no que diz respeito às atividades de design.

Embora as alterações nos modos de produção da Prada decorram de uma espécie de pressão popular, a diretoria da própria grife decidiu que já era hora de se formalizar o novo sistema fabril. Assim sendo, a marca passou a fazer parte de uma aliança de cunho ambiental: a Fur Free Alliance (FFA). A empresária Donata Meirelles pontua que tal organização conta com a participação de empresas originárias de 40 países. Para ingressar nesta aliança, contudo, a grife italiana há cerca de um ano participa de reuniões com a entidade de preservação.

Conforme anunciou o executivo Joh Vinding, atuante na FFA, a aliança tem conseguido cumprir com seu objetivo principal em virtude da maneira como a sociedade tem valorizado a preservação da natureza. Como modo de se tornarem adequadas à atual realidade dos clientes, tais marcas se mostram mais abertas ao uso de recursos alternativos. O trabalho intensivo dos ativistas, conforme alega Vinding, tem surtido efeito, uma vez que expõe ao público a necessidade de se respeitar os animais. Com isso, grifes americanas planejam barrar o comércio de produtos com peles de animais.

Donata Meirelles ressalta que não apenas os ativistas têm pressionado as marcas do segmento fashion quanto a banirem esse tipo de pele em suas confecções. A classe política americana também tem expressado que não é aceitável qualquer tipo de ação que leve a fauna do planeta. Para Linda Rosenthal, por exemplo, que pertence à Assembleia de Nova York, é preciso que haja garantia legal de que nenhum animal será empregado na indústria fashion. Com esta preocupação, Rosenthal decidiu apresentar um projeto de lei para impedir a comercialização e produção de itens contendo esse material.

No ano de 2019 o protagonismo em relação à causa animal ficou por conta de um evento de moda na Inglaterra. Trata-se da London Fashion Week, um dos encontros mais expressivos do segmento fashion britânico, destaca a empreendedora. Na ocasião nenhuma das grifes que desfilaram fizeram uso de peles verdadeiras.

Assista também:

Donata Meirelles é uma das convidadas da 4ª edição do BrazilFoundation Gala SP

A partir do tema “Educação”, a 4ª edição do BrazilFoundation Gala SP prestou homenagens a Eduardo Lyra, representante do Instituto Gerando Falcões, e também a Cláudio Haddad, que atua no INSPER. Sediada na Casa Fasano, o baile recebeu mais de 300 personalidades e acumulou R$ 1 milhão para ser revertido a caridade.

Os nomes homenageados pelo evento são parceiros antigos da BrazilFoundation, como é o caso de Cláudio Haddad, presidente do conselho deliberativo do INSPER, uma instituição sem fins lucrativos dedicada a educação e pesquisa. Há mais de 10 anos, Haddad gerencia o Programa de Bolsas, um projeto cujo objetivo é distribuir bolsas em instituições de ensino para jovens de grande talento que não teriam condições financeiras de estudar sem esse benefício.

O ativista Eduardo Lyra, por outro lado, é nascido em uma comunidade bastante humilde e cresceu com dificuldades, o que o motivou a se esforçar nos estudos. No ano de 2011, já formado em jornalismo e se dedicando ao ativismo social, Eduardo desenvolveu o programa Gerando Falcões, que contribui com iniciativas sociais dedicadas a ajudar pessoas nascidas em favelas e periferias a mudarem de vida. Entre as diversas iniciativas já ajudados por esse programa, estão projetos ligados as áreas do esporte, cultura, e educação, principalmente no sentido de profissionalizar essas pessoas e ajudá-las a exercer um ofício.

Para a realização do IV Gala da BrazilFoundation SP, a instituição renovou a sua já tradicional parceria com a grife Chanel, uma das principais patrocinadoras do baile, além de ser a marca escolhida por diversas convidadas que prestigiaram o evento, como a influenciadora digital Lala Rudge e a atriz Sophie Charlotte.

A atriz Sophie Charlotte foi inclusive uma das apresentadoras do evento, ao lado do ex-judoca Flávio Canto, ao tempo em que a atriz Ingrid Guimarães e o colunista Bruno Astuto foram os escalados para anunciar o tão aguardado leilão da BrazilFoundation, que acumulou mais de R$ 300 mil nessa edição. As experiências leiloadas incluíram uma estadia no resort de luxo Mirante do Gavião, um dos mais badalados da região amazônica.

Divertida e irreverente, Ingrid Guimarães arrancou boas risadas de Donata Meirelles e do restante dos convidados ao estimular aqueles que estavam presentes no evento a adquirir esse pacote de viagem para finalmente poder colocar no Instagram selfies feitas com os botos e vídeos em formato boomerang ao pular no Rio Negro. Todo o esforço foi recompensado pelo generoso lance da modelo Alice Dellal, que arrematou a viagem por cerca de R$ 16 mil. Outro artigo que fez parte do leilão e gerou grande cobiça foi uma peça do estilista Jean Charles de Castelbajac, a qual foi comprada por pouco mais de R$ 40 mil.

Durante o leilão, além dos itens extravagantes e surpreendentes, o grande destaque do evento foram os looks das convidadas de honra da noite. Os trajes da diretora de moda Donata Meirelles, que optou por um conjunto preto clássico e elegante, e da blogueira Lala Rudge, que estava com um macacão de tweed preto e branco, foram alguns dos que mais chamaram atenção positivamente.

Após a cerimônia do leilão, o palco do evento recebeu a cantora Preta Gil para agitar os convidados madrugada adentro e tornar a noite de gala da BrazilFoundation em São Paulo uma festa memorável. Essa não foi a primeira vez de Preta Gil em um baile da entidade, pois a mesma já havia sido convidada anteriormente para se apresentar em outras edições do evento, tanto no Rio de Janeiro, como também nas cidades americanas de Miami e Nova York. Depois de Preta, o palco ainda teve mais um show, dessa vez com a DJ Marina Diniz, a qual compilou vários sucessos e fez com que todos se empolgassem na pista.

A instituição BrazilFoundation foi idealizada a partir de um encontro bastante casual entre um grupo de amigos que compartilhavam o interesse de tornar o Brasil um país cada vez melhor e mais igualitário. Inicialmente, a ideia do grupo foi criar uma rede de apoio liderada por ativistas sociais, a qual seria integrada a projetos capazes de mudar o país.

Desse modo, a entidade surgiu de modo oficial no ano 2000, e nesses anos de atuação já acumulou mais de US$ 40 milhões em doações, os quais foram distribuídos para cerca de 500 programas sociais, em todos os estados da federação brasileira. Cada evento de gala da BrazilFoundation escolhe uma temática para prestigiar e homenagear nomes que fizeram a diferença nesse segmento, como por exemplo, Saúde, Cultura, Direitos Humanos, entre outras.

Em sua missão de ajudar projetos relevantes e levar uma vida mais digna e justa para milhões de brasileiros, a entidade mantém uma parceria duradoura com dezenas de personalidades importantes do país, como a especialista em moda Donata Meirelles, seu marido, o publicitário Nizan Guanaes, e também o empreendedor e ativista Olivier Hugues Terreault.