Category: Negócios

Donata Meirelles – uma das 40 brasileiras mais poderosas da atualidade segundo a Forbes

A consultora de moda e diretora de estilo Donata Meirelles tem uma grande história com a moda de luxo nacional. Por sua influência no meio, ela figura na lista da Forbes como uma das brasileiras mais poderosas. Continue lendo o post e entenda os motivos para isso.

A lista

A Forbes levantou informações de muitas brasileiras e levou em conta uma série de fatores como sua posição em grandes organizações, visto que elas ergueram outras administram entidades de renome, a capacidade de formar opiniões, inspirar atitudes positiva, seu esforço em trazer mais educação, saúde, justiça e igualdade para o país.

Na ocasião, Donata foi entrevista pela publicação e contou um pouco sobre o início da carreira e o atual trabalho na Vogue Brasil, importante revista de moda. Ao ser questionada como iria comemorar os 30 anos de moda, ela respondeu que não sabia como comemorar e que estava “entrando de cabeça” nos eventos promovidos pela Vogue.

Há pouco mais de seis anos, ela aceitou o pedido da amiga Daniela Falcão para ingressar na revista como diretora de estilo, posto que até então não existia na versão brasileira da revista. Como ela tinha passado um tempo sabático na Daslu e estava repondo as energias, aceitou o desafio.

Sobre a Daslu, boutique de luxo a qual trabalhou por 23 anos, Donata foi enfática dizendo que não foi sócia da empresa, mas sim cliente, depois vendedora e quando o governo do ex-presidente Fernando Collor permitiu importações, passou a decidir quais marcas de roupas estrangeiras seriam vendidas na loja.

Na Vogue, sua missão é proporcionar o olhar da leitora para a publicação. Apesar de não ter formação em comunicação, ela acredita desempenhar bem seu papel de diretora de estilo, em virtude principalmente, dos anos de experiência no mundo da moda.

Nos últimos anos, seu maior desafio foi pensar fora da casinha para conseguir gerar rendimentos por meio da força da marca Vogue. Para isso, vários profissionais desenvolveram uma plataforma de eventos em que percorrem todo o país promovendo ações, seminários e palestras.

Um desses eventos foi um grande sucesso, tanto de público como de receita. Realizado em um grande centro comercial de Goiânia, ação teve um público de mais de 70 mil presentes em apenas um dia. Os comerciantes também aderiram e criaram ações promocionais paralelas. O lucro foi muito bom e só perdeu para a melhor época do ano para os lojistas, o Natal.

Anos de Daslu

Donata Meirelles iniciou sua carreira na moda ainda nova, quando fazia faculdade de Economia. Foi em 1990 quando começou a trabalhar na Daslu como vendedora e conforme ganhava experiência subiu de cargo até diretora geral. Nessa posição, era responsável pelas compras internacionais e por delegar as tarefas de mais de 400 colaboradores.

Foi uma espécie de braço-direito da antiga proprietária da boutique, a empresária Eliana Tranchesi. Juntas viajaram para diferentes partes do mundo para conduzir negócios e participar dos principais desfiles e semanas de moda.

As filhas, Helena Bordon de Donata, Lu e Marcela de Eliana as acompanhavam em muitos desses compromissos. As meninas cresceram cercadas por moda, brincavam de desfilar e de fazer pedidos exclusivos a nomes famosos da moda, como os estilistas italianos Dolce & Gabanna. Tudo isso as influenciou e hoje Helena, Luz e Marcelle têm sua própria marca de roupas e acessórias, chamada 284.

Presença digital

Os locais e eventos que Donata Meirelles frequenta, o que faz e as roupas que vestem sempre saem na mídia especializada em moda, principalmente em blogs e na rede social. Ela dita moda, influencia profissionais da área e também os ajuda em muitas situações. Na última Semana de Moda de São Paulo recebeu algumas blogueiras para um bate-papo no Hotel Unique.

Durante a conversa falou sobre estilo e carreira. Segundo ela, a brasileira tem como a mistura sua identidade e para conseguir um bom look é importante saber dosar seu estilo próprio com as tendências. Ela falou que sempre visitou muitos lugares, viajou e conheceu pessoas formidáveis. Tudo isso foi importante para que ela pudesse trazer novos olhares e enfoques para a Vogue.

Donata é muito presente nas redes sociais, em especial o Instagram, o qual ela detém milhares de seguidores. No seu perfil posta fotos do seu cotidiano, jantares, festas de gala que participa, publicações da Vogue e muito conteúdo diversificado. Já no Facebook, o caráter das postagens é mais informativo.

 

A diva é presença cativa em eventos de gala, cujo intuito é angariar fundos para instituições sem fins lucrativos como a BrazilFoundation. Em uma das edições do Inspiration Gala São Paulo, evento de gala promovido pela Amfar, Donata adquiriu um item do leilão por 50 mil dólares.

A Amfar é uma ong americana que atua no apoio de pesquisas que buscam a cura da Aids. A entidade atua em todo o mundo financiando pesquisas e projetos que buscam não só a cura, mas a inserção de soropositivos na sociedade.

NYX deixa o Brasil após resultados decepcionantes, reporta Flavio Maluf

Marca de maquiagem decide fechar lojas no país após cerca de dois anos de operações.

No final de março, a marca de maquiagem norte-americana NYX tornou público que irá encerrar suas atividades nas três lojas que possui no país, duas delas no Rio de Janeiro e uma em São Paulo, informa o empresário Flavio Maluf. A NYX estava no país há menos de dois anos, e até o fechamento das lojas, no final de abril, os produtos que ainda restam nos estoques estarão com 50% de desconto.

Desde 2014, quando foi vendida por meio bilhão de dólares, a NYX é uma subsidiária da gigante francesa L’Oreal, e pode ser encontrada em cerca de 70 países. Com essa decisão de encerrar as atividades em solo brasileiro, a L’Oréal destacou que a partir de agora irá dedicar os seus esforços Maybelline NY, outra marca importante do conglomerado francês.

Quando chegou ao Brasil, em 2017, os diretores da NYX estavam otimistas de que a marca, conhecida por vender itens de boa qualidade por preços inferiores ao das marcas “premium”, seria um grande sucesso no país. Na época, os números do setor pareciam bastante promissores, tendo em vista que a venda de produtos de maquiagem teve um faturamento superior a US$ 8 bilhões no ano de 2017, de acordo cim dados da consultoria Euromonitor.

Antes de ter suas lojas físicas no país, a NYX já podia ser encontrada no Brasil em modelo de franquia, e contava com quiosques em shoppings de vários estados. Após assumir o controle da marca, a L’oreal tomou a decisão de relançar a NYX no país, começando pela inauguração de três lojas conceito nas duas cidades mais importantes do Brasil. Na época do lançamento, a marca chegou a prometer que seus produtos também seriam vendidos pela internet, mas isso nunca chegou a acontecer, noticia Flavio Maluf.

O tempo de vida da NYX no Brasil foi tão curto, em grande parte devido ao perfil do consumo de maquiagem das brasileiras, que geralmente optam por marcas com preços menores. Nos últimos meses, outras marcas estrangeiras, cujo foco é mais para o mercado de luxo, também encerraram suas operações no país, como a Lanvin, especializada em roupas, a Kate Spade, de acessórios, bolsas e roupas, e a Versace, de roupas, sapatos e perfumes.

Essa desaceleração do mercado de marcas de luxo no Brasil é uma exceção, quando comparada ao restante do mundo, informa Flavio Maluf. De acordo com um relatório da Bain & Company, em 2018 esse segmento cresceu cerca de 5%, e faturou mais de € 1 trilhão.

No segmento específico dos produtos de maquiagem, a marca britânica Lush, dedicada à venda de cosméticos naturais, é outro exemplo que deixou o Brasil recentemente.

Ao anunciar o fechamento de suas lojas no Brasil, a Lush culpou a elevada carga de tributos do país, e também a crescente instabilidade política. Porém, segundo os analistas, o verdade é que essa preferência das brasileiras por produtos mais acessíveis tem feito com que até mesmo a Sephora, rede multinacional com foco em produtos de luxo, repense a sua estratégia e aposte na venda de marcas com preços mais baixos, como a Natura e a própria Maybelline, noticia Flavio Maluf.

Desfiles parisienses: Donata Meirelles aborda o caráter apoteótico desses eventos

Se no Brasil o Carnaval é um dos eventos que mais prendem a atenção do público, na França e em outros países os desfiles de moda têm sido considerados verdadeiros espetáculos. Vale destacar que aqueles que ocorrem na capital francesa são os mais vistos, assinala a empreendedora de moda Donata Meirelles. Somente no primeiro trimestre de 2019, as passarelas parisienses foram palco da estreia de estilistas promissores. Além disso, grifes como Tommy Hilfiger investiram em estrelas para abrilhantar suas apresentações, além de produções que relembravam o ambiente cinematográfico, destaca a empreendedora.

Como já era esperado, a Tommy Hilfiger também prestou sua homenagem ao lendário estilista da Chanel, Karl Lagerfeld, em virtude de seu falecimento ocorrido no mês de fevereiro. A grife também explorou pontos turísticos famosos de Paris. A Torre Eiffel, por exemplo, recebeu passarelas por onde modelos desfilaram as últimas novidades da marca. O mesmo também foi feito em relação ao Museu do Louvre.

Já o Grand Palais foi decorado de modo a remontar a uma estação dos Alpes Suíços voltada à prática de esqui. A escolha desse cenário teve uma razão bastante simbólica na homenagem prestada a Lagerfeld, uma vez que ele sempre expressava gostar muito da Suíça, sobretudo por poder esquiar. A marca também fez um minuto de silêncio e finalizou a homenagem colocando um áudio contendo a voz daquele que por décadas foi o líder da Chanel.

Mesmo se tratando de uma homenagem póstuma, a apresentação foi destaque em virtude do tratamento dado à organização, pontua Donata Meirelles. Apesar de relembrar a trajetória de Lagerfeld ter sido algo já esperado pelo público, a surpresa ficou por conta da qualidade do que foi apresentado nos momentos de exibição que antecederam o início do desfile da marca. Um dos desafios da grife, além das questões técnicas, foi realizar uma homenagem da forma como o estilista gostaria, pois era conhecido pelo estilo que dispensava sentimentalismo.

Mais do que uma homenagem a alguém que foi um ícone da moda, a apresentação ilustra a maneira como os desfiles tem concebido tudo o que é apresentado pelas grifes, transcendendo até mesmo as roupas que são mostradas. A empresária brasileira esclarece que trata-se de uma tendência que pode ser conferida, sobretudo entre as marcas que são classificadas como de alta costura. Ainda que esses desfiles tenham despertado desde sempre a atenção de muitas pessoas, com o passar dos anos o público começou a se interessar também pelo aspecto considerado apoteótico desses eventos.

Se na Tommy Hilfiger Lagerfeld recebeu uma grande homenagem, na maison Chanel não foi diferente, podendo-se ver igual brilho nas produções. Conhecido como “Kaiser”, palavra que significa “imperador”, ele foi homenageado com peças inspiradas em suas criações mais emblemáticas, tais como conjuntos tweed em xadrez e roupas em tecidos coloridos, típicos das coleções assinadas por ele na década de 1980. No final do desfile, vestidos brancos fluidos foram desfilados. Donata Meirelles menciona que houve um momento em que a atriz Penélope Cruz também desfilou, ilustrando bem a nova forma que as grifes têm de conduzir seus desfiles: dando aspecto de show a esses eventos.

Penélope Cruz emocionou o público presente ao finalizar o desfile ao caminhar com uma flor branca nas mãos, da mesma forma como o homenageado fez por anos em que esteve à frente da marca. Além da atriz hollywoodiana, a trilha sonora com a canção “Heroes” do astro David Bowie também gerou comoveu a plateia. Enquanto a música tocava, todas as modelos da grife desfilaram simultaneamente, reporta a empreendedora. Embora a emoção dos convidados fosse previsível, a empresária destaca que a maneira como a produção do desfile foi feita pode ter grande influência sobre a reação das pessoas presentes. Mais do que um desfile de peças que lembravam Lagerfeld, o evento conseguiu criar uma atmosfera de sinestesia que envolveu os convidados.

A Tommy Hilfiger é uma das marcas pioneiras em se tratando da adoção do desfile de moda como espetáculo, noticia a empresária. A grife, contudo, não se limita a apresentar grandes eventos na Cidade Luz. Outros desfiles de grande porte foram realizados em Nova York, Shangai e Milão. Em Paris, já em 2019, a marca trouxe Grace Jones, uma das representantes mais emblemáticas dos anos 1.980. A cantora e modelo se apresentou para uma plateia composta por 1.900 convidados, cantando suas músicas de maior sucesso ao longo do evento.

A diversidade também marcou o último desfile da grife realizado em Paris. Modelos com biótipos variados desfilaram as peças da coleção. Se os tipos físicos eram variados, as etnias também o eram, explica a empresária. Assim sendo, o brilho do desfile foi ainda maior do que nos outros anos. A Yves Saint Laurent surpreendeu pelo fato de promover um desfile com as luzes apagadas, onde somente se podia ver as peças em cores néon passando pelas passarelas do local.

Vendas em Startup

As vendas em uma startup podem parecer tão úteis quanto aprender latim ou pedra seca. Uma arte perdida para uma geração anterior, antes dos websites, fez todo o trabalho pesado. Com uma alta conversão, cantando todo o site SaaS, teoricamente, você não precisa fechar uma venda com um cliente.

A verdade, para muitas empresas, startups e freelancers de SaaS é que as habilidades de vendas não são uma arte perdida. Faz toda a diferença entre sucesso ou fracasso. A outra triste verdade, pelo menos na minha experiência, é que muitos “executivos de vendas” em startups não têm o que é preciso. Até mesmo executivos de negócios experientes podem se esforçar ao vender um produto em estágio inicial. O ônus de educar o cliente, vendendo o valor, dependendo do sucesso do marketing, pode reduzir a eficácia de uma campanha de vendas.

As melhores pessoas para vender em um ambiente de inicialização são o fundador ou co-fundador, ou alguém que tenha experiência em vender para startups. Praticantes de metodologias de vendas antigas – como as descritas no livro de Geoffrey A. Moore, Crossing The Chasm (original de 1991, revisado em 1998 e 2014) – têm maior probabilidade de sucesso, especialmente quando os clientes-alvo são empresas mais estabelecidas.

Defina estreitamente o território de destino – A ideia de que startups operam em mercados no valor de US $ 100 milhões a US $ 1 bilhão, ou mais, é uma fantasia. “Só precisamos capturar 1%” é uma das muitas mentiras que os fundadores dizem a si próprios e aos investidores. Embora os investidores geralmente tenham o bom senso de descontar declarações irrealistas.

Seu mercado real é aquele que você pode alcançar em 9 meses – mais provavelmente 6 – e garantir receita suficiente para quebrar ou garantir mais financiamento. Então não atire na lua. Aponte para um nicho pequeno, idealmente um grupo local de clientes-alvo primeiro.

Adapte a mensagem – Aprenda com as necessidades declaradas ou não declaradas deste grupo de clientes em potencial, a melhor maneira de participar delas. Olhe a linguagem que eles usam. Considere os pontos problemáticos e como o seu produto ou serviço resolve um problema para eles. Em seguida, adapte o material de marketing de acordo.

Como realizar pesquisa quantitativa

Saiba como você pode usar pesquisas quantitativas e métodos quantitativos para coletar inteligência de negócios que muda o jogo.

Pesquisadores realizam pesquisas quantitativas para estabelecer uma relação entre uma variável e outra, ou seja, as variáveis ​​independentes e dependentes. Existem dois projetos comuns de pesquisa de notícias utilizados em pesquisa quantitativa: descritiva e experimental. Uma pesquisa quantitativa descritiva tenta estabelecer uma conexão entre duas variáveis, enquanto um estudo quantitativo experimental procura estabelecer uma causalidade.

Os princípios centrais da pesquisa quantitativa são os seguintes. Os resultados são tipicamente coletados pelo uso de ferramentas de pesquisa quantitativas mais estruturadas. As descobertas são construídas em torno de um grande tamanho de amostra de participantes que é idealmente representativo da população total. A pesquisa quantitativa é fácil de replicar, o que lhe confere maior validade, em oposição aos métodos qualitativos de pesquisa. Para pesquisa quantitativa, os pesquisadores pretendem encontrar descobertas e dados mais objetivos dos participantes. Toda e qualquer ferramenta usada na pesquisa quantitativa é cuidadosamente planejada, pensada e estruturada. Os resultados obtidos a partir de pesquisas quantitativas geralmente estão na forma de números estatísticos. Devido à sua natureza objetiva, os resultados da pesquisa quantitativa podem prever melhor estabelecendo a causação.

Coisas a observar ao conduzir uma pesquisa quantitativa. É fundamental que a objetividade seja mantida ao longo de uma pesquisa quantitativa. Pesquisadores geralmente evitam manchar os resultados por causa de sua presença e avaliar criticamente os resultados para quaisquer sinais de viés deles ou os participantes envolvidos na pesquisa. Os pesquisadores também devem trabalhar duro para manter a validade do estudo e certificar-se de que eles estejam apenas medindo o que eles dizem que estão medindo.

Há também grandes conjuntos de variáveis ​​externas que podem afetar os resultados do estudo e devem ser controlados pelo pesquisador. Em certos casos, onde é impossível remover completamente uma variável externa confusa do estudo, o pesquisador deve reconhecer sua presença e como ela pode ter afetado os resultados do estudo.

Outro aspecto central da pesquisa quantitativa é o raciocínio dedutivo. Raciocínio dedutivo significa que a sua abordagem irá gradualmente diminuir de ser muito genérica para específica. Isso garante que a hipótese ou o argumento que está sendo feito no início do estudo sejam precisos. A maioria dos pesquisadores, no entanto, incorporaria o raciocínio indutivo em determinados pontos da pesquisa.

O que é patrimônio privado?

O termo private equity refere-se a um conjunto de ativos de capital que não estão disponíveis para troca pública. Os fundos de private equity podem ser mais detalhadamente explicados como investimentos que são feitos discreta e diretamente em uma empresa privada, sem que sejam levados ao conhecimento público.

Os investimentos em private equity também incluem a alocação de ativos de capital para a compra de empresas públicas, que consequentemente perdem seu status de instituições de patrimônio público após a compra. Em outras palavras, depois que uma empresa é sujeita a investimentos de private equity, ela não se qualifica mais para ser listada como patrimônio público na bolsa de valores.

Objetivos de private equity. O principal objetivo dos investimentos em private equity diz respeito à intenção dos investidores de obter taxas mais altas de retorno adquirindo um controle considerável ou completo sobre um negócio ou uma empresa.

Investimentos em private equity e iniciativas de financiamento são comumente realizados por investidores institucionais e de varejo, cujos interesses e objetivos podem ser diversos e variados.

Os objetivos finais podem estar relacionados às conquistas associadas à descoberta da tecnologia moderna e mais recente, ao fortalecimento de um balanço patrimonial, ao aumento do capital de giro de uma empresa ou negócio ou simplesmente a expansão de uma rede de negócios através de aquisições frutíferas.

Práticas e empreendimentos de private equity – Uma firma de private equity opera através de um esforço conjunto de um grupo de parceiros, responsável por formular decisões e assegurar sua implementação prática. O principal objetivo é garantir que os clientes acionistas possam se beneficiar ao máximo das rentáveis ​​taxas de retorno.

Os investimentos em private equity e aquisições envolvem a capacidade dos investidores de alocar uma quantidade considerável de ativos por um longo período de tempo. Um período típico de investimento dura de quatro a sete anos em média. No entanto, as exigências gerais de capital são determinadas por uma variedade de fatores, incluindo a definição e o tipo de empresas envolvidas, bem como o montante relativo de recursos acumulados por uma empresa de private equity.

O private equity é um dos campos mais complexos do setor financeiro. Um alto nível de especialização e experiência é necessário para obter insights úteis no campo e formar decisões judiciosas e recompensadoras.

Roberto Santiago – Um Empresário do Entretenimento Brasileiro

Roberto Santiago é um dos empreendedores mais reconhecidos do Brasil, e seu sonho do Shopping Manaíra é oferecer aos brasileiros uma diversidade de formas de lazer, diversão e lazer. Ele está sempre interessado nos detalhes para garantir que serviços de alta qualidade sejam oferecidos no shopping. Santiago projetou este shopping com foco em diversão e entretenimento como as principais marcas do negócio.

As principais atrações do Shopping Manaíra são os cinemas. Eles são decorados para acomodar a tecnologia moderna, uma vez que possui várias salas 3D. Ele também possui um bar para aqueles indivíduos que desejam tomar bebidas e refrescos. Outra característica marcante do shopping é o Domus Hall, que é uma das maiores salas de espetáculos do Brasil, com capacidade para 8.000 pessoas.

Guru imobiliário , investidor proeminente e empresário são todos os termos que melhor descrevem Roberto Santiago. Ele é uma das elites que João Pessoa se orgulha de ter produzido. Roberto Santiago agradece muito o estado e, por sua vez, retribui a sua comunidade ao estabelecer um shopping center de última geração, o The Manaíra Shopping Mall.

Como dito acima, Roberto Santiago nasceu e foi criado em João Pessoa. Ele também teve seu ensino superior no mesmo estado. Ele freqüentou o PIO X Marist College por seus estudos técnicos. Mais tarde, ingressou no Centro Universitário de João Pessoa, onde se formou em Administração de Empresas. Sua educação tem sido muito instrumental no sucesso de seus negócios. Leia mais sobre Mundo Do Marketing

Recém-saído do Colégio, Roberto Santiago começou a trabalhar no Café Santa Maria. Aqui ele adquiriu a experiência e dinheiro que ele precisou para começar a própria companhia dele. Então, depois de deixar o Café, ele decidiu se aventurar no empreendedorismo. Nesse ponto, ele começou uma empresa de cartonagem. Ele faria caixas e outros itens decorativos e os forneceria às empresas.

No ano de 1987, ele decidiu tentar a sorte no setor imobiliário e ele realmente teve sorte. Ele comprou terras em uma área remota em João Pessoa e imediatamente começou a desenvolvê-las. Naquele ano, o prédio do Shopping Manaíra começou. O Manaíra Mall é um dos maiores shoppings do Brasil. É uma das atrações de João Pessoa.

O Manaíra Mall é conhecido por ser o epítome do entretenimento. De jogos a filmes e participando de concertos ao vivo de exposições de arte, o The Manaíra Mall é o local ideal para isso. Eles têm 11 salas de cinema 3D com um arranjo de assento do estádio para melhorar a visão para todos. O shopping também possui três salas de cinema VIP. Para jogos, há mais de 1.200 metros quadrados reservados para uma sala de jogos. Há também uma sala de boliche e um parque de jogos para as crianças.

Uma coisa que as pessoas em João Pessoa e além do amor sobre este shopping é o fato de que é um shopping center único. Você vem aqui para pegar tudo. Jogue o dia todo, assista a um filme, coma lá, envie ou receba dinheiro no banco, e até mesmo assente-se no Domus Hall, para assistir a um concerto ao vivo.

Dicas para programar o seu cérebro rumo ao sucesso

Alcançar sucesso pessoal e profissional é o grande sonho de milhares de pessoas. Mas a grande pergunta que as pessoas costumam fazer é: como eu chego lá?

Primeiro de tudo, você precisa se livrar de alguns hábitos tóxicos em sua vida e só então começar a reprogramar seu cérebro para ter uma mentalidade empreendedora. Isso acontece porque uma mudança de mentalidade é essencial para desenvolver estratégias para alcançar seus objetivos, qualquer que seja.

No entanto, sabemos que nem sempre é fácil se apossar de nossas limitações e mudar a maneira como você se comporta.

Racional x Emocional: Tão importante quanto manter uma postura racional para desenvolver sua carreira profissional é estar em sincronia com sua inteligência emocional. Um equilíbrio entre essas duas áreas permite alcançar ótimos resultados em nossas vidas. Quando é hora de tomar uma decisão importante, pensar em notícias de forma racional e emocionalmente ao mesmo tempo torna mais fácil fazer escolhas melhores que estão em consonância com nossos interesses.

Então você é capaz de desenvolver hábitos de qualidade, você tem que considerar que os hábitos são construídos em uma base diária. É por isso que programar uma mentalidade empreendedora deve acontecer continuamente.

Cada parte de sua mente pode ser reprogramada para alcançar o sucesso, e cabe a cada um de nós definir nossas metas e começar a trabalhar e desenvolver hábitos poderosos.

Agora que você entendeu como é importante equilibrar a razão e a emoção, mostraremos como você pode equilibrar seus hábitos e aumentar seu foco para reprogramar seus pensamentos e ter uma mente empreendedora.

Tenha hábitos alimentares saudáveis: A alimentação saudável sempre foi essencial para melhorar não só o corpo, mas também a mente humana. O cérebro gasta muita energia porque está sempre processando informações. Tudo o que vemos, sentimos e as experiências que vivemos passam pelo nosso cérebro.

Assim, uma alimentação saudável não deve ter um papel pequeno em sua vida, pois leva a grandes ganhos na qualidade de vida. Ter hábitos alimentares saudáveis ​​permite que o corpo desenvolva suas habilidades sem entrar em colapso.

Profissionais que desistem de prestar atenção em seus hábitos alimentares têm maior probabilidade de ter menor desempenho e pouca ou nenhuma criatividade quando se trata de suas vidas profissionais, comprometendo suas carreiras como um todo. Então, para ter uma mentalidade empreendedora ativa e disposta, é essencial comer bem.

Carlos Alberto de Oliveira Andrade conquista prêmio de Executivo do Ano

Nesta 52ª edição da premiação Carro do Ano, organizada pela revista Autoesporte, quem levou o prêmio de Executivo do Ano 2019 foi Carlos Alberto de Oliveira Andrade, vitória esta que serviu como um importante reconhecimento de sua trajetória empreendedora.

O empresário, também chamado de Dr. Carlos devido à sua formação acadêmica em medicina, iniciou sua história no mercado de automóveis em 1979 através da aquisição de uma concessionária falida que não entregou seu Ford Landau comprado na época. Com seis anos de atuação no setor de automóveis, a CAOA, acrônimo de Carlos Alberto de Oliveira Andrade, passou a ser a maior representante em vendas da Ford no país. Alguns anos após este feito, a revendedora tornou-se a importadora oficial da Renault. Depois de mais um período passou a trabalhar com a marca Hyundai aqui no Brasil, quando, no ano de 2007, o paraibano decidiu investir na criação da primeira fábrica da Hyundai em território brasileiro, o que lhe rendeu, em 2012, o título de “Distribuidor do Ano” ao disputar na categoria com 179 distribuidores mundiais da marca.

Em 2017, a CAOA uniu forças com a chinesa Chery em um acordo de cooperação com uma fábrica instalada no Brasil para criar uma nova montadora de veículos totalmente nacional e iniciar um intenso plano de lançamentos e consequente expansão da nova marca. Porém, muito antes desta união entre a altíssima tecnologia chinesa e o destacado comércio brasileiro de Carlos Alberto de Oliveira Andrade, em 2009, a Chery instalou em Jacareí-SP uma montadora para realizar parte de seu projeto de distribuição internacional.

Diferente do tempo em que a chinesa tinha um número reduzido de vendas com o QQ e o Celer, atualmente, a empresa conta com o seu considerado “best-seller” Tiggo 2, e confirma novas adições para a linha Tiggo.

Como uma representação de modernidade no estilo, mecânica (com a novidade do motor 1.5 turbo) e acessórios, a CAOA Chery investiu no lançamento e abertura de vendas do Tiggo 5x e o sedan Arrizo 5 a serem produzidos no Brasil. Outros lançamentos confirmados no país são o Tiggo 7 e o Tiggo 8 cujo um dos principais diferenciais de mercado é o fato dele ser o primeiro SUV da marca a acomodar sete passageiros. A apresentação simultânea de dois dos principais modelos mais vendidos caracteriza a atitude visionária e audaciosa da parceira firmada pela Chery e a empresa de Carlos Alberto de Oliveira Andrade.

De acordo com os registros, 2011 foi o ano em que a CAOA vendeu mais unidades como importadora, mais de 89 mil veículos. Ainda em 2011, foram 38.635 caminhões e carros fabricados e vendidos. Quanto a sua totalidade na indústria, o ponto mais alto da produção ocorreu em 2013 quando alcançou o número 3.738.448 de unidades.

Já faz alguns anos que Carlos Alberto de Oliveira Andrade não atua mais como dirigente direto da CAOA. Atualmente, o empreendedor brasileiro segue exercendo a função de Presidente do Conselho de Administração da empresa, sempre se mantendo ligado aos principais assuntos dos negócios.

Felipe Montoro Jens em projetos no Brasil

 

Todo país precisa de infraestrutura. É um dos principais estímulos de qualquer economia. No entanto, a outra realidade da infraestrutura é a estagnação dos projetos. Felipe Montoro Jens é um especialista que pesquisou amplamente sobre a área. Como especialista, ele está sempre preocupado com o efeito da estagnação e falta de conclusão de projetos de infraestrutura. No entanto, a pesquisa da Confederação Nacional (da Indústria) é um dos estudos que, segundo ele, revolucionaram a forma como as pessoas enxergam o abandono de projetos de infraestrutura. A pesquisa deste órgão indica a triste realidade de que quase 20% dos projetos de infraestrutura no Brasil nos últimos 24 meses estão atualmente estagnados.

 

Felipe Montoro Jens aponta especificamente algumas das áreas afetadas pela estagnação de projetos (portal.comunique-se.com.br). Alguns dos projetos afetam projetos de aeroportos, rodovias, mobilidade urbana, hidrovias no Brasil e portos. Além dos projetos que sofrem com menos de 5% da alocação do orçamento pelo governo brasileiro, abandonar os planos subfinanciados faz mais mal do que bem.

 

No entanto, por que existe um número tão significativo de projetos abandonados? Felipe Montoro Jens aponta que há muitas razões para essa triste realidade. Segundo ele, muitos projetos estão incompletos, especialmente no Brasil, por causa de financiamento, tecnicismos em construções e questões ora administrativas. Felipe Montoro Jens reconhece que, para um governo trabalhar em um projeto de infraestrutura, deve haver indenização por terra e isso pode atrair processos judiciais e, portanto, projetos incompletos. Mais sobre de Felipe em infomoney.com

 

Além disso, Felipe Montoro Jens aponta que a tecnologia precária em algum projeto também contribui significativamente para a estagnação e projetos abandonados. A má técnica de acordo com ele resulta do fato de a empresa ser pequena e sem a tecnologia necessária para levar o projeto à conclusão. Felipe Montoro Jens defende uma parceria harmoniosa entre todas as partes para garantir a conclusão dos projetos.